terça-feira, 15 de maio de 2012

O Projeto!

Gente parece mentira, mas só agora que o projeto está praticamente encerrado é que estou tendo tempo para escrever um pouco sobre ele.
Bom, o nome do meu projeto aqui é Break the Difference, e ele foi composto de duas partes.
A primeira delas foi desenvolvida em três escolas públicas com alunos de 5º e 6º ano. Realizamos 4 sessões com o objetivo de sensibilizar e minimizar o preconceito com pessoas deficientes.
Na primeira semana fizemos uma dinâmica de apresentação em que os alunos deveriam segurar uma caixa fechada, dizer seu nome, idade, o que mais gostavam de fazer, o que achavam da caixa por fora e o que achavam que ela tinha dentro. Na caixa tinham diversos materiais colados, o que fazia com que ela fosse diferente das caixas normais e no final quando a abríamos havia uma flor dentro. Com essa dinâmica procuramos passar a ideia de não julgar as pessoas pela aparência, pois nem sempre o que vemos por fora corresponde ao que tem dentro. (ideia by Dona Grace)


Na segunda semana desafiamos as crianças a executarem tarefas do dia a dia com algumas limitações, como por exemplo, passar uma garrafa pet para o colega sem usar os membros superiores ou escrever seu nome sem as mãos, foi muito legal e eles adoraram. Nesse dia pretendemos mostrar que embora as pessoas com deficiência passem mais trabalho é possível sim que executem as tarefas rotineiras. (Ideia by Dona Grace)



Na terceira semana fizemos uma sequecia de slides com fotos para apresentar aos alunos inúmeras deficiências. Inicialmente falamos de pessoas famosas como Beethoven e Stephen Hawking, e depois passamos para imagens do dia a dia. Foi bem legal, pois os alunos ficaram surpresos e curiosos.. Para mim foi um desafio responder aos mais variados questionamentos, mas acho que no final das contas me sai bem. Hauhauhauhauh
Slides finais com dicas..


Nesse dia demos tarefa para casa, entregamos aos alunos uma folha com quadrinhos e eles deveriam criar uma história em que o personagem principal fosse uma pessoa com deficiência.
Na quarta e ultima semana fizemos uma retomada de todos os temas tratados nas sessões anteriores e construímos um cartaz, que ficou fixado na sala de aula, onde cada aluno escreveu o que aprendeu com o projeto. Não tenho como descrever a satisfação que tive em ler o que as crianças escreveram.. fiquei muito feliz e espero que realmente tenha ficado dentro de cada um a sementinha de um mundo melhor. =)
A foto esta distante, mas vale pelo registro, essa é uma das minhas turmas... No início havia ficado um pouco insegura, pois os alunos estão bem no inicio da adolescência, naquela fase em que somos MUITO críticos, mas correu tudo bem. Eles até parecem gostar de mim.. São uns queridos mesmo..

Bom, e a segunda parte do projeto foi desenvolvida em ONGs. Pretendíamos ter tido um trabalho mais efetivo nessas, mas como inicialmente viriam 5 pessoas para o Break e acabamos sendo apenas 3, não conseguimos fazer tudo o que havíamos planeado.
Foi bem interessante ver os ambientes e estruturas dos lugares.
A APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) tem a sede um pouco distante de Coimbra, demoramos uns 40 minutos para chegar lá, motivo que fez com que pudéssemos comparecer apenas uma vez por semana nas atividades.
Lá é a ONG que eu mais gosto de ir, saio revigorada, muito feliz e cheia de energia.
Aluno mostrando os trabalhos feitos na Olaria.


Oficina de fios


Esse aluno é responsável por fazer o lanche de todas as pessoas que estão na ONG, ele fica todos os dias umas 2 ou 3 horas montando e embalando os sanduiches. Ficamos conversando um pouco e foi bem engraçado, pois ele é mal-humorado e todo mundo o chama de Sr. Neves, durante nossa conversa ele dizia varias vezes que os pães tinham que ser feitos rapidamente senão ele perderia o emprego e não poderia sustentar sua casa. hauhauhuhaua

Esse é o Bruno, ele trabalha na cafeteria da APPACDM, é um querido e sempre fica me perguntando se no Brasil se toma muito café.. hauahuahuahau

Outra ONG que frequentamos foi a ACAPO, (Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal), e lá não tive a oportunidade de ir muitas vezes, o que me deixou chateada pois adorei o ambiente. O diretor da ONG é uma pessoa maravilhosa e que tem idéias e ideais muito parecidos com as que escutei minha mãe falando a vida toda.
Essa é uma sala equipada com tudo que uma casa tem, nesse espaço os deficientes visuais treinam as atividades da vida diária.


                Ontem eu e Jai fomos a ACAPO e ensinamos uns professores, que também são cegos, a fazer florzinhas de fuxico. Foi um desafio muito grande, mas bolamos umas técnicas e adaptamos moldes e no final das contas conseguimos ensina-los. Fiquei muito feliz, pois como eles vendem diversos produtos para angariar fundos para a ONG pode ser que as florzinhas sejam mais uma fonte de renda! =D




Bom, e o encerramento do projeto ocorreu no sábado com um café da manhã com representantes das escolas e das ONGs. Foi um momento super proveitoso, onde essas pessoas entraram em contato e puderam trocar informações, contatos e experiências.


 E foi isso gente, esse foi o Projeto Break the Difference..
Adorei fazer parte dele e acredito que aprendi bastante, na verdade muito mais do que ensinei... mas isso é assunto para um post futuro! ahuahuaha

Beijos e mais beijos!

2 comentários:

  1. Fiquei pensando: será que em algum momento da vida conseguiremos mais ensinar do que aprender? É tão bom estar aberto para trocar, né? E, tu, bonitona, estás sempre disseminando a certeza de que as diferenças são sim necessárias... Cada vez tenho acreditado mais e mais que um novo mundo não só é possível, como já começa a ocorrer! Ao menos em tranformações dentro de nós, né? E, se cada um de nós crescer um pouquinho, no final das contas, o mundo todo ganha com isso. Divido, mais uma vez, meus sonhos contigo. Linda!! Te amo. Boa noite!

    ResponderExcluir
  2. Oi Paulinha, sou amiga da tua tia Lu, acompanho o teu blog desde o inicio e quando nos encontramos sempre comentamos sobre os nossos choros ao ler as tuas postagens. Mesmo sem te conhecer pessoalmente, já te admiro imensamente, acho o teu trabalho com as crianças muito lindo e de um valor enorme. Parabéns por essa sua incrível criatividade, e por esse amor com que trata tudo e todos! Tenho certeza que deixaste uma bela semente no coração de todas essas crianças que tiveram o privilégio de conviver contigo e um sorriso mais brilhante no rosto de cada uma. Mais uma vez parabéns e até a próxima! Muita luz!!!! Felicidades!!!

    ResponderExcluir