quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Museu Da Silva

                O Museu Da Silva foi o  último museu que visitamos no dia de hoje, ele tem esse nome pois foi erguido por uma família da Silva que veio do Brasil para Porto Novo.
                O museu conta a história da escravidão, dos negros no Brasil e dos primeiros momentos da história de Benin. Sua fachada e as coisas que encontrei lá dentro me fizeram sentir vergonha e tristeza ao mesmo tempo, foi uma mistura de sentimentos. Em vários momentos tive vontade de chorar e de ter o poder de mudar a história.

Essa é a fachada do Museu..





Vendo tudo isso é impossível não concordar com Thomas Hobbes.. “O homem é o lobo do próprio homem”! Pois é Hobbes, concordo contigo!

Depois de tudo que vi e senti hoje, para tentar ficar um pouco mais aliviada, escutei meu terapeuta cantando, e como sempre, ele disse uma coisa que precisava escutar.. “Se o mundo é mesmo parecido com o que vejo, prefiro acreditar em um mundo do meu jeito.”
Azar se é o Fantástico Mundo de Bob, mas eu acredito nele e batalho todos os dias para que seja do jeito que eu sonho e quero!


Tô tentando chegar até as nuvens com os pés no chão sim, e quem disse que não posso tentar?!

Um comentário:

  1. Ola. Paula, eu sou Leonardo, Aluno de Graduação da Furg(universidade Federal do Rio Grande.E virei seguidor do seu blog por indicação da minha amiga e orientadora Ivana Lopes.
    Senti vontade de comentar seu post, por dois motivos: Por me sentir afiliado à ideia de colaborar para um mundo melhor...mesmo " fantástico mundo de Bob" e por estar investigando a cultura e arte das raízes étnicas
    (principalmente africanas e indígenas) Estou adorando ler suas experiência. Tive o prazer de estar e trabalhar caracterizações das artes étnicas com grupos quilombolas Em São José do Norte e Rio De janeiro.
    Da Silva/Brasil não há nome mais apropriado à museu de brasileiro... deve ser realmente chocante, a nossa história então acaba sendo mais feia e absurda. alias o país mais escravagista do mundo. Também sinto como tu tristeza e decepção ao me deparar com algumas imagens naturalistas do nosso país, por isso escolhi as raízes étnicas como forma e educação. Sorte e felicidades na sua experiência

    ResponderExcluir