segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Amália, meu primeiro choque cultural!

25/02/2012, Porto Novo – Benin

Pela ordem dos acontecimentos esse texto deveria ser o último a ser escrito, mas desde que vi Amália não consigo pensar em mais nada. Parece que as coisas boas do meu dia aconteceram a uma eternidade.
Necessito desabafar, tenho que escrever sobre ela e sobre as coisas que penso..
Estou me sentindo sufocada e tenho vontade de sair correndo com ela daqui.
Amália tem 10 ou 12 anos (não souberam me dizer direito) e nasceu em uma cidade aqui perto. Seus pais a entregaram para família que me hospeda para ela trabalhar e juntar dinheiro para poder estudar no futuro. Ela nunca freqüentou a escola, não sabe ler nem escrever, trabalha o dia todo e agora, na hora de dormir, está deitada em uma cama só no estrado.
Me doeu ver ela se deitar.. Só eu sei como me doeu.
Tive vontade de chorar e tudo que pude fazer foi dar um beijo de boa noite nela.
Me estiquei sobre as tábuas e dei um beijo em sua bochecha.  
Ela sorriu, e tenho certeza que não vou esquecer desse sorriso tão cedo!
Agora ela está a menos de cinco metros da minha cama, tenho vontade de levantar e ir deitar com ela. Não me importo com a falta do colchão, mas tenho medo que ela se assuste, afinal, não sei o que ela já passou na vida. 
Minha família daqui não faz isso com ela porque é ruim, na verdade, eu os vi tratando-a “bem”, mas é cultural.. as gurias me disseram que isso é extremamente normal na África. As pessoas não tem condições de manter seus filhos então os entregam para famílias mais abastadas que os “criam” e depois dão dinheiro para que possam estudar.
                Aqui criança não é criança, é só um adulto que ainda não cresceu.
Brincar, aprender, sonhar?! Não não.. Isso não existe, não se tem tempo e nem $ para isso.
Claro, estou falando das crianças pobres, existem famílias com dinheiro aqui e para essas a vida é normal.     
Assim como a Amália existem mais tantas crianças nessas condições.. e vendo essa cena não pude deixar de pensar que o mundo é muito cão mesmo.

Será que ninguém mais está vendo isso?!


 ... Boa noite Amália! Sonha, sonha, mas sonha muito, pois nos teus sonhos podes ser criança, podes ser livre, podes ser feliz!

8 comentários:

  1. Triste... me emocionei prima.. Pelo menos estás aí levando um pouco de "sonho" para onde essa palavra nao existe! Bjos Zizi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu e o Vitor lendo teu blog nos emocionamos mais uma vez com a história da Amália...mesmo sabendo que várias Amália irão cruzar teu caminho até tua volta, mas não tem como não se emocionar...continua levando esse carinho, atenção, pois com certeza essa menina também jamais irá esquecer de ti e com certeza farás diferença na vida dela...bjuus

      Excluir
    2. Ai prima é impossível não se emocionar mesmo!
      A vida aqui é bem dura para as crianças! Isso me faz sofrer bastante!

      Excluir
    3. Ai Rô que legal saber que vcs estão acompanhando minhas aventuras!
      E eu sei que várias Amálias vão cruzar o meu caminho..
      To pensando em levar uma meia duzia para o Brasil! auahuahau
      Beijos querida!

      Excluir
  2. Oi, amada, senti este texto da Amália como uma facada na boca do estômago, por mais que a gente entenda que as pessoas não façam isso por mal nem por desrespeito. É apenas questão de sobrevivência. Talvez seja a única forma de enxergarem o futuro. É possível acreditar que esses pais façam isso por amor. Quem sabe? De qualquer forma, mesmo que a Amália não entenda Inglês, dá um beijo nela, sim, em todas as noites que puderes. Receber o teu carinho, por certo, a ajudará a dormir mais leve. E tu, sem dúvida, também dormirás em paz. Bons sonhos!! Te amo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Mima, senti uma dor terrível ao ver isso, a sensação que tive foi que estavam tentando arrancar meu estomago pelo dedão do pé.. Péssimo!
      Mas eu penso que para eles isso é amor sim.. Acho que as mães pensam que é melhor a criança trabalhar em uma casa do que passar fome ao lado delas.
      É cultural, mas acredito que nunca vou me acostumar com isso. Na verdade nem quero me acostumar!

      Te amo Filhote!

      Excluir
  3. Filha... sempre conversamos sobre a importância de marcar nossa passada pela Terra com passos tão fortes e firmes que nossas pegadas ficassem marcadas por onde passássemos... mas sempre soubemos por outro lado... do quanto o mundo que desejamos foge ao nosso controle... poderemos mudá-lo a nossa volta e isso já será o bastante... o construiremos melhor na medida de nosso alcance... vive cada instante como único... cuida de quem puderes... ama... sorri... abraça... beija... e se achares que nosso destino, mais uma vez cruza, de uma maneira própria e única esse universo... sabes... e sei que sabes... seremos mais... seremos 4, 5, 6... seremos nós e quem mais nosso amor colher.... t amo...
    Fico feliz por Amália ter voltado pra casa... lá mesmo sem ser criança... ela estará em casa... e talvez isso possa ser melhor para ela... t amo... e sei que se esta noite eu estivesse aí... teria chorado como tu a noite toda... são histórias... são vidas... são crianças... e por outro lado uma grande impotência na construção do mundo que acreditamos... t amo filha... fica em paz... dorme com os anjinhos... e que Deus abençoe cada noite ou dia teu... bjbjbjbjbjbj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mãe..
      Ler tuas palavras e sentir o teu amor me fazem ter força!
      Acredito muito em tudo que dizes e sei que sabes disso!
      Quando dizes que poderemos ser 4, 5 ou 6 sei que falas de verdade! Tenho tido muita vontade de que nossa família cresça.. Mas conversamos sobre isso em off depois! =)
      Te amo muito e mesmo distante estas todos os dias ao meu lado em pensamento!

      Excluir